Benefícios reais em se filiar a uma sociedade de especialidade

Folder

Nascidas com o objetivo de promover atualização científica, as sociedades de especialidade hoje vão mais além do que apenas isso. Saiba por que é importante a representatividade que elas oferecem.

Desde a fragmentação do conhecimento médico em várias áreas, as sociedades de especialidade têm como principais objetivos o aprimoramento científico e a valorização dos especialistas. No entanto, com a evolução da Medicina e com o surgimento de questões que afetam diretamente o trabalho médico, as ações das sociedades de especialidade sofreram uma grande transformação, ampliando seu campo de atuação. Hoje, ainda cabe às sociedades defender os especialistas nas relações profissionais, orientar quanto à implementação das boas práticas da Medicina e zelar pela boa relação médico-paciente.

Quando se pensa em filiação a uma sociedade de especialidade, em geral, os médicos têm a tendência em pontuar as vantagens que possam ser contadas. Porém, se esquecem de aspectos fundamentais, como a representatividade. É preciso sair do discurso mais comum das “vantagens de ser associado” que é encontrado nos sites das sociedades. O principal benefício que uma sociedade oferece aos seus especialistas é simplesmente o de existir.

No mundo atual, está mais do que clara a importância da representatividade em diversos aspectos e, no âmbito médico, o mesmo acontece. O conceito de representatividade está ligado aos interesses de um grupo com intenções em comum, sendo caracterizado pela construção de uma identidade. A existência de sociedades de especialidades que zelem pelos direitos dos especialistas e trabalhem para que eles sejam reconhecidos e valorizados pode fazer toda a diferença na promoção do desenvolvimento profissional.

Grande desafio: mostrar que vale a pena fazer parte

De acordo com Breno Caiafa, secretário-geral da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV), o associativismo é a forma de se lutar por democracia, igualdade de direitos e reconhecimento do trabalho. A criação de uma associação é definida com o objetivo de servir os seus integrantes em diversas causas. Além disso, é importante para conquistar finalidades comuns, reforçar a representatividade e defender os interesses dos associados. Uma associação deve trabalhar focada em ajudar seus integrantes a alcançar objetivos para o crescimento dos negócios. Dessa forma, atua para satisfazer as necessidades coletivas, além de reunir esforços e reivindicar melhorias no segmento.

“O grande desafio de qualquer entidade médica é oferecer aos seus associados serviços que mostrem que vale a pena fazer parte. Parece simples, mas não é. Afinal, é preciso entender os anseios de uma classe com profissionais em diferentes momentos de suas carreiras e, mesmo naqueles pontos que parecem fáceis de identificar, como a busca por condições adequadas de trabalho e honorários dignos, existem aspectos e significâncias diferentes para cada um. Além disso, nos últimos anos, todos nós tivemos que aprender, a duras penas, a necessidade de administrar a carência de recursos”, ressalta.

Segundo Caiafa, cada diretoria de uma associação precisa trabalhar muito para entregar aos associados, independentemente de seu momento pessoal ou de carreira, motivos que lhes façam sentir que integram uma sociedade essencial em suas atividades e que também colabora para construir um futuro mais promissor para as novas gerações. Houve um tempo em que uma sociedade de especialidade médica era exclusivamente uma entidade focada em oferecer formação e atualização científica a seus associados, quando o acesso à informação era lento e restrito.

“É claro que esses serviços são muito importantes, mas não podem mais ser os únicos oferecidos, e isso é fácil de entender. A dinâmica da forma como interagimos (com outras pessoas, com empresas e com entidades) mudou. Se uma entidade médica não acompanhar essas transformações, corre o risco de sucumbir, já que hoje a concorrência se globalizou”, afirma.

Indo além da atualização científica

De acordo com Caiafa, é possível dizer que a oferta de atualização científica já não pode mais ser o único serviço que uma entidade médica oferece aos seus associados. É preciso estar literalmente conectado com o que se passa ao redor e entender o que hoje faz diferença e o que é um diferencial para os especialistas, além de desenvolver formas de ofertar tais serviços da forma mais significativa para o grupo.

“Nesse patamar, alguns serviços ocupam o topo da lista: defesa profissional e assessorias nos âmbitos da gestão da carreira e do consultório. Mas, saber disso, não resolve toda a questão, já que é preciso considerar que os associados e potenciais associados vêm de realidades diversas, e são de gerações diversas também. Portanto, eles têm graus diferentes de interesse sobre cada um desses temas e consomem informações de modos diversos também”, enfatiza.

 Associado com prioridade nas ações

Para Caiafa, muitas diretorias têm buscado ampliar a oferta de serviços e diversificar as formas de acesso dos associados a eles. Hoje, parcerias podem ser realizadas com empresas que oferecem aos membros aquilo que tem se mostrado como as maiores carências ou dificuldades na prática das especialidades. As sociedades também podem investir em oferecer um mix de oportunidades para acesso a tais serviços.

“Consideramos o sócio uma prioridade e todas as ações estão voltadas para atender suas necessidades. Sempre lembrando que precisamos estar unidos para conseguir defender nossas especialidades e nossa profissão. Aqui incluo o relacionamento com secretarias de saúde, conselhos, sindicatos e outras sociedades, seja no setor público ou no privado”, observa.

Caifa acrescenta que é preciso achar o equilíbrio nos momentos de incertezas e os médicos têm que permanecer juntos e fortes para mostrar seu valor como profissionais e especialistas, além de cobrar o reconhecimento da sua profissão.

“Talvez, a grande falha das entidades em seus trabalhos é não comunicar melhor sobre suas ações e serviços disponíveis. Portanto, muitos ainda desconhecem suas vantagens. Mas são vários os benefícios de se associar a uma entidade de classe. Conhecer, participar e ser ativo trará ainda mais força, fazendo com que mais objetivos sejam alcançados. Tenho certeza que estar associado e se envolver com uma entidade de classe ajudará no seu crescimento pessoal e profissional”, defende.

 

Faça parte da nossa Newsletter e receba assuntos exclusivos
para impulsionar sua carreira médica.

 

 

x

Revista DOC nova edição

100% Gratuita

Faça seu download já