7 dicas para despertar o estado de FLow

Folder

Há muitos termos e diferentes formas de conceituar “estado de fluxo”, entretanto todas se direcionam para um ponto comum que é a sensação de ser muito produtivo, envolvido, focado, ou seja, imerso em uma ação. Esse conceito é muito usado no âmbito profissional, para designar a importância de desafiar a capacidade do cérebro, fato relevante para que profissionais de qualquer área de atuação se aprimorem e saiam da zona de conforto.

O termo “fluxo” foi criado, nos anos 70, pelo pesquisador Mihaly  Csikszentmihalyi com o objetivo de ajudar as pessoas a se apropriarem do desempenho ideal e obterem qualidade de vida. Ele descobriu que ao nos livrarmos da síndrome do impostor, da autocrítica, usamos uma pequena parte do cérebro que nos leva a uma imersão profunda e silencia a autoconsciência.

Csikszentmihaly define fluxo como “Um estado mental que acontece quando uma pessoa realiza uma atividade e se sente totalmente absorvida em uma sensação de energia, prazer e foco total no que está fazendo. Em sua essência o flow é caracterizado pela imersão completa no que faz, e por uma consequente perda do sentido de espaço e tempo”

Para melhor compreensão sobre o “estado de fluxo” imagine os três cérebros (reptiliano, límbico, neocórtex) entrando em equilíbrio total, o momento de total conexão entre corpo e mente. Como por exemplo, você se desliga de situações passadas, não focará no futuro e se concentra profundamente no “aqui e agora”.

O cérebro nesse estado não fica sobrecarregado e maximiza sua ação. Nesse processo existe um sistema de recompensa responsável pela liberação da dopamina que proporciona uma sensação de prazer. Csikszentmihaly refere que existe uma relação entre os sentimentos que experimentamos e o tamanho do desafio, considerando o conhecimento e as habilidades que possuímos, como pode ser compreendido no gráfico a seguir.

Gráfico Desafios x Habilidades

Fonte: Flow, Mihaly Csikszentmihalyi (1990 p. 38)

 O eixo habilidades corresponde à capacidade de realizar tarefas. Convém ressaltar que o nível de habilidade de um profissional aumenta com o treinamento e a experiência. Por exemplo, na realização de determinado procedimento, se compararmos as poucas habilidades de um estudante de medicina, com as de um médico experiente, observa-se que há uma diferença entre a relação desafios, habilidades e o significado para cada um.

O eixo desafios representa o grau de exigência da tarefa. Uma ação para um profissional da saúde, dependendo das suas habilidades, pode ser mais ou menos desafiadora.

Se o profissional está envolvido em uma tarefa fácil e sem desafios, geralmente torna-se apático ou entediado.

Se a tarefa for muito mais difícil do que as habilidades que possui, pode tornar o profissional ansioso.

Se a tarefa for fácil e o profissional possuir muitas habilidades para tal, tende a permanecer na zona de conforto.

Se a tarefa é desafiadora e o profissional possui as habilidades necessárias, essa é uma combinação perfeita entre habilidades e desafios, ou seja, é o ponto ideal para que o estado de fluxo aconteça.

Observe novamente o gráfico, imagine um teatro lotado e o público à espera do início do concerto. A orquestra se posiciona e entra em ação o maestro que irá conduzir os músicos em suas atividades durante o concerto para existir total sintonia na execução da música.

O maestro possui as habilidades necessárias para o desafio de conduzir os músicos e, ao mesmo tempo, encantar a plateia. Durante a apresentação, ele se concentra na condução dos músicos para alcançar seu objetivo, que é a unidade da expressão artística do grupo. Esse exemplo evidencia o estado de fluxo, no qual existe a equivalência entre desafio e habilidade.

No caso dos profissionais da saúde, entende-se que o “estado de fluxo” pode ser evidenciado, durante um procedimento cirúrgico que o médico e equipe passam horas totalmente focados no paciente. Ao final da cirurgia é o momento que constata o cansaço das horas que se mantiveram em pé, totalmente focados no paciente, buscando o sucesso do procedimento.

Durante a consulta, o profissional ao ouvir o relato do paciente, na anamnese, tem como desafio usar suas habilidades para analisar os sinais e sintomas e chegar às hipóteses diagnósticas.

Dicas de ações que podem levar ao estado de flow:

  1. Mantenha o foco, preste atenção exatamente naquilo que irá fazer;
  2. Concentre-se, ignore o que está a sua volta;
  3. Faça o que deve ser feito com muita qualidade (evite retrabalho);
  4. Entenda quais são as habilidades necessárias para determinada atividade;
  5. Exercite o relaxamento, desperte o sentimento de serenidade;
  6. Foque o presente, esqueça o passado e não pense no futuro;
  7. Motive-se, a motivação intrínseca, é mola propulsora do flow.

O termo estado de fluxo tornou-se conhecido, hoje ocupa espaço em organizações de diversos segmentos e em áreas como saúde, educação e tecnologia.

Entendo, no que se refere ao ambiente corporativo, que a gestão de pessoas, aliada a busca pelo estado de flow, é um fator de mudança, inovação e sustentabilidade das organizações e na construção de um ambiente colaborativo.

Recomendo, diante do que foi exposto, que o profissional busque a sua melhoria contínua por meio da gestão da marca e do marketing pessoalcompreenda quais são seus desafios e suas habilidades requeridas, para enfrentar os desafios contemporâneos das organizações e futuro das profissões.

 

Dulce Regina Migliorini
Gestora de Marca&Marketing Pessoal.
Simple You Desenvolvimento Humano Ltda

Faça parte da nossa Newsletter e receba assuntos exclusivos
para impulsionar sua carreira médica.

x

Revista DOC nova edição

100% gratuita

Faça seu download