Escolhendo o modelo ideal de prontuário eletrônico

Confira os prós e contras de cada possibilidade

Folder

Já se foi o tempo em que o prontuário de papel era a única alternativa para os médicos. Atualmente, há uma grande diversidade de modalidades de prontuários eletrônicos, cada uma com sua especificidade. Para fazer a escolha correta deve-se observar atentamente os prós e contras de cada um e ver se os benefícios estão alinhados com suas necessidades. Alguns médicos ainda optam pelos de papel por desconfiança da tecnologia e praticidade – em casos de clínicas/consultórios de pequeno porte, principalmente. Contudo, eles necessitam de um grande espaço para serem acomodados, além de mecanismos de proteção para que as informações não se deteriorem. O fato de todo conteúdo sensível estar disponível para acesso de qualquer um e estar suscetível a desintegração em casos de incêndio e outras adversidades é perigoso tanto para o médico – que precisa de adequar às diretrizes da Lei Geral de Proteção de Dados – quanto para o paciente.

O prontuário eletrônico surge como uma opção de baixo custo operacional, que traz agilidade e mobilidade atendendo às normas do Conselho Federal de Medicina, CFM, e da LGPD.

Em um momento de avanço da telemedicina, ter acesso aos dados dos pacientes em qualquer lugar se torna fundamental para o exercício da profissão. Mais do que isso, essa modalidade de prontuário permite anexar uma grande quantidade de informação como vídeos, imagens e documentos. Desta forma, hospitais, clínicas e consultórios enxergaram esse meio como uma importante ferramenta para um atendimento mais ágil e completo. Contudo, como afirma o Engenheiro de Projetos e Aplicações em Tecnologia e Segurança da Informação, Ronaldo Fernandes, não são todos os prontuários eletrônicos que oferecem essas possibilidades. A seguir, ele descreve as principais vantagens e desvantagens de cada forma de prontuário eletrônico, confira:

Prontuário eletrônico na nuvem

“Este tipo de prontuário está passando a ser o mais utilizado pelos profissionais da saúde, pois os dados são todos armazenados em estruturas robustas de datacenters no Brasil, trafegando de forma 100% segura pela internet, o que dificulta o acesso por terceiros e o vazamento de informações”, afirma Fernandes. Contudo, ainda há a necessidade de mudança de cultura da classe médica para haver uma maior adesão a esse tipo de aplicativo. O especialista nos aponta os pontos positivos e negativos, são eles:

Vantagens

  • Grande espaço de armazenagem;
  • Backups periódicos;
  • Gestão em tempo real no armazenamento dos dados;
  • Facilidade de update na infraestrutura, em caso de sobrecarga;
  • Segurança dos dados, com protocolo HTTPs, criptografia e acesso segmentado de acordo com as funções de cada um no consultório;
  • Acessibilidade, podem ser acessados de qualquer lugar com internet;
  • Mobilidade, podem ser acessados de computadores, tablets e celulares;
  • Não precisam de técnicos locais para instalação;
  • Atualizações de melhoria são feitas de forma remota, sem interromper o uso local do sistema.

Desvantagens

  • Necessita de conexões com a internet para acessar;
  • A equipe administrativa/médica precisa de treinamento rápido, para entender o fluxo das informações online;
  • Alguns modelos requerem maiores investimentos.

Prontuário eletrônico de dados local

Esse tipo é o mais tradicional utilizado em ambientes de trabalho médico. Os dados são armazenados dentro de uma rede interna, não tendo a necessidade de transmiti-los pela internet. “Esses sistemas são instalados na própria máquina e só dão acesso àqueles colaboradores que estão na infraestrutura da rede local”, afirma Ronaldo Fernandes. As principais vantagens e desvantagens, são:

Vantagem

  • Acesso local rápido de forma offline.

Desvantagens

  • Necessidade de profissionais na área de tecnologia local para manutenção da infraestrutura;
  • Maior investimento na infraestrutura de internet do consultório, pois a segurança fica mais vulnerável nesse tipo de sistema;
  • Baixa velocidade de acesso;
  • Necessidade de um técnico para instalação e atualização do sistema;
  • Podem ficar obsoletos mais rapidamente;
  • Necessitam de licença para uso;
  • Não tem mobilidade e acessibilidade.

Prontuário eletrônico híbrido

Essa modalidade une recursos dos dois citados anteriormente, utilizando “uma base local para armazenar os dados na nuvem”. Assim, o engenheiro afirma que “nesse tipo os dados ficam armazenados em cada máquina com acesso à internet, não precisando de servidores. É um tipo mais complexo, mas é ideal para quem necessita dos serviços sem depender da internet”. Como todos os tipos, ele também possui pontos positivos e negativos:

Vantagens

  • Acessar os dados com fácil acesso em cada máquina;
  • Armazenamento seguro;
  • Confiabilidade.

Desvantagem

  • É um sistema complexo que demanda maior investimento e treinamento.

Faça parte da nossa Newsletter e receba assuntos exclusivos
para impulsionar sua carreira médica.

x

Revista DOC nova edição

100% Gratuita

Faça seu download já