Planejamento de vida para médicos jovens

Francinaldo Gomes 4 minutos

Folder

Em abril de 2019, tive a honra de participar do 4º Fórum Nacional de Integração do Médico Jovem: Construindo o Futuro da Medicina Brasileira, evento promovido pelo Conselho Federal de Medicina na cidade de Teresina (PI). Foi um grande evento, com cerca de 200 jovens médicos na plateia. Fiquei responsável por falar sobre o tema: Planejamento de vida para o médico jovem. Diante de um tema tão amplo, decidi abordar três atitudes necessárias para que o médico jovem tenha sucesso na Medicina e, dessa forma, consiga construir um futuro melhor para a Medicina brasileira.

Como esse tema é de extrema importância na atualidade em virtude das dificuldades que os médicos, principalmente os jovens e recém-formados, vêm enfrentando no Brasil, decidi compartilhar essa abordagem com os leitores do Universo DOC. Essas atitudes funcionaram para mim e, certamente, funcionarão para vocês também.

O médico jovem possui o maior ativo de todos: o tempo. Na fórmula do juro composto, o tempo é o único elemento que tem efeito exponencial para o enriquecimento. Isso significa que, pelo fato de dispor de muito tempo, o jovem médico não precisa ter muito dinheiro para enriquecer. Infelizmente, essa percepção costuma surgir quando o médico já deixou de ser jovem.

Atitude 1: Aprenda a cuidar das finanças. O médico que não cuida de suas finanças passará a vida trabalhando para quem cuida

Desde que me graduei em Medicina, em 1998, passei a ganhar dinheiro. Entretanto, por não saber cuidar adequadamente do dinheiro que eu ganhava, não enriquecia. Quanto mais ganhava, mais gastava. Em 2003, em virtude de meu ingresso na residência de Neurocirurgia, minha renda sofreu uma queda abrupta, porém os gastos eram altos. Por conta disso, tive graves problemas financeiros; problemas que me levaram a ficar sem dinheiro para as compras de supermercado por não saber cuidar das minhas finanças. Essa constatação fez com que eu me reinventasse e aprendesse a cuidar do dinheiro que ganhava.

Atitude 2: Tenha sempre múltiplas fontes de renda

Existem quatro formas de obter renda. A renda ativa (aquela que depende do trabalho) pode ser obtida como empregado ou como autônomo. Na renda ativa, o ganho é proporcional à quantidade de trabalho. Como a capacidade de trabalho é limitada pelo tempo, a renda ativa também será limitada, além de poder ser interrompida abruptamente. A renda passiva (aquela que não depende do trabalho) pode ser obtida por meio da criação de um negócio próprio (consultório, clínica) ou por meio de investimentos. A renda passiva não é limitada pela quantidade de trabalho e, mesmo em situações desfavoráveis, continua a existir.

Infelizmente, os médicos brasileiros são formados para depender unicamente de renda ativa decorrente da Medicina durante toda a vida, e a grande maioria não percebe o erro que está cometendo até que seja tarde demais. Eu fui vítima dessa armadilha e me dei mal. Entretanto, tão logo percebi o erro, tratei de corrigi-lo. Atualmente, tenho pelo menos cinco fontes de renda (boa parte renda passiva) além da Medicina. Cada uma delas é trabalhada para obter o máximo de eficiência.

Ter mais de uma fonte de renda me trouxe tranquilidade, pois tenho um patrimônio que gera recursos suficientes para pagar as contas todos os meses sem que eu dependa do trabalho.

Atitude 3: Para poder exercer a Medicina que sempre desejou, você não deve depender financeiramente dela

Parece um contrassenso, mas depender financeiramente da Medicina fará com que você se torne escravo do governo, das operadoras de saúde, das organizações de saúde (OSs) ou mesmo de instituições financeiras. Dessa forma, você não poderá exercer a Medicina que quer, e sim a que esses entes querem. Por isso, jovens médicos, vocês precisam criar maneiras para não depender financeiramente da Medicina o quanto antes.

Implementar essas três atitudes me proporcionou a independência financeira aos 42 anos de idade. Passei a trabalhar por gosto e não mais por necessidade; meu rendimento aumentou; passei a ter mais tempo para cuidar da saúde, ficar com a família e com os amigos. Escolho onde trabalhar, quando trabalhar, como trabalhar e por quanto trabalhar. Exerço a Medicina que sempre sonhei. Como neurocirurgião especialista em cirurgia de epilepsia, desenvolvo essa área na cidade de Belém do Pará. E isso tem me feito um bem danado.

Eu escolhi ter sucesso na Medicina. E você?

Cadastro

x

Revista DOC nova edição

100% gratuita

Faça seu download