5 dicas para a tecnologia não atrapalhar a relação médico-paciente

Smartphones têm a capacidade de nos distrair; por isso, os médicos precisam ficar atentos para que esses dispositivos não interfiram no atendimento. Para isso, reunimos uma lista com dicas para que você saiba como equilibrar o uso da tecnologia na relação médico-paciente

Julia Lins 3 minutos

Folder

Os smartphones se tornaram um vício mundial entre públicos de todas as idades. De acordo com uma pesquisa feita pelo Ibope, 60% dos brasileiros confirmaram que utilizam seus smartphones enquanto estão em alguma situação de espera, seja ela qual for. Além disso, 29% confessaram que já acordam checando as redes sociais. Na Medicina, a tecnologia e seus dispositivos têm auxiliado muito na evolução das técnicas de trabalho e atualização profissional. Porém, em alguns momentos, ela pode acabar prejudicando a relação médico-paciente.

Um estudo feito pela American Medical Association (AMA) mostra que os médicos passam 37% de seu tempo em aparelhos eletrônicos enquanto atendem seus pacientes. Pensando nisso, preparamos uma lista com cinco dicas importantes para impedir que a tecnologia atrapalhe o relacionamento médico-paciente.

Dê atenção plena ao seu paciente

A Telemedicina permite que os médicos consigam estreitar o relacionamento com seus pacientes a distância. Porém, é preciso ficar atento à virtualização do atendimento. Atender um paciente que está presencialmente no consultório e, ao mesmo tempo, atender outro paciente pelo WhatsApp pode dividir a atenção do médico. Além disso, realizar um atendimento on-line no meio de uma consulta presencial pode passar a impressão de que o problema do paciente presencial não é importante.

Use a tecnologia a seu favor

A tecnologia nem sempre é uma vilã na relação com o paciente. Ela também pode ser uma ótima ferramenta de educação. Por isso, ao longo de uma consulta, utilize seu computador para mostrar o resultado de um exame a seus pacientes e passar as informações úteis acerca de sua saúde.

Observe sua forma de digitar

Pode não parecer, mas até mesmo a forma que você digita pode interferir no atendimento. Já reparou que ao digitar você acaba perdendo o contato visual com o paciente? Pois é – saiba que esse é um fator essencial ao longo da consulta. Por isso, busque melhorar suas habilidades de digitação, de forma que você consiga manter a relação “olho no olho”. Dessa forma, você perceberá uma melhoria na experiência de seus pacientes.

Priorize o essencial e adie o que pode ser adiado

Em diversos momentos, o médico preenche fichas, assina documentos, prescreve e dá informações a outros funcionários ao longo de uma consulta. Porém, nem tudo precisa ser feito por ele. Delegue tarefas a seus colaboradores para que você possa passar mais tempo com seus pacientes. A primeira pessoa que terá contato com ele é a recepcionista. Muitas informações de uma ficha médica, por exemplo, ela mesma pode completar, poupando boa parte de seu tempo.

Coloque seu telefone no modo silencioso

Sabemos que desligar o telefone pode não ser uma possibilidade para o médico. Porém, a melhor opção é deixar o celular no modo silencioso ao longo das consultas para evitar distrações. Nesse momento, é preciso priorizar o paciente e evitar atender às ligações se estas não forem urgentes.

Compartilhe
x

Revista DOC nova edição

100% gratuita

Faça seu download