Aplicativos podem auxiliar na educação do paciente?

Julia Lins 4 minutos

Folder

Estabelecer um bom relacionamento com os pacientes pode ser um grande desafio para a comunidade médica. Porém, a tecnologia aparece como uma importante aliada para atingir essa conexão. A utilização da tecnologia para monitorar, promover cuidados e maior adesão aos tratamentos de saúde já é uma realidade, facilitando a integração entre equipe multiprofissional e usuário/paciente. E uma das tecnologias que podem ser utilizadas para estreitar a relação médico-paciente são os aplicativos para smartphones.

O uso dos apps promove autonomia para o paciente e oferece ferramentas alternativas para a autogestão de necessidades específicas que podem ser adicionadas a medidas terapêuticas convencionais, proporcionando ganho real ao tratamento. Porém, apesar de seus ganhos comprovados, alguns médicos ainda são receosos ou têm dúvidas sobre a eficácia dos aplicativos na educação de seus pacientes. Por isso, listamos a seguir alguns dos seus principais benefícios à saúde:

Diminuição da disseminação de fake news

O Dr. Google é uma realidade na vida do médico, e com o tempo é preciso entender como lidar com essa ferramenta. É que, durante essa busca por informações sobre a sua condição na internet, o paciente pode ficar confuso e se deparar com uma série de informações falsas.

Uma das formas de evitar essa situação seria indicar uma referência confiável para que o paciente possa consultá-la quando tiver dúvidas. Nesse caso, o médico pode indicar alguns aplicativos, como o WHO Info, um app que traz informações atualizadas diretamente da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Maior possibilidade de adesão ao tratamento

É comum que os pacientes esqueçam de tomar os seus medicamentos necessários no horário correto, até mesmo por um ou mais dias. Por isso, aplicativos como o Pillboxie podem ser úteis nesses momentos. Ele é essencial para os pacientes que se esquecem frequentemente de suas medicações, pois, além de configurar lembretes, os pacientes também podem registrar o formato e visual dos remédios, para encontrá-los mais facilmente.

Aumento do monitoramento corporal

Com a tecnologia, uma nova possibilidade se abriu para os pacientes: o monitoramento corporal. Hoje é possível medir a pressão, batimentos cardíacos e até mesmo verificar a quantidade de passos dados utilizando um simples aplicativo. É o caso do iCare, um dos principais verificadores de saúde. Apenas com o toque de seu dedo, é possível fazer medições como frequência cardíaca, pressão sanguínea e nível de lipídios. Há também a possibilidade de realizar testes para verificar se a visão e a audição estão em dia.

Incentivo à manutenção de uma rotina saudável

Alguns aplicativos podem fornecer importantes ferramentas para que profissionais de saúde possam monitorar e educar seus pacientes sobre modificações dietéticas específicas, como redução na ingestão diária de sódio durante a alimentação, a partir de mensagens com informações dos alimentos a ser consumidos.

Um desses apps é o Dietbox, que auxilia os pacientes a registrar suas refeições, visualizar suas receitas, enviar e receber fotos e até mesmo conversar com um nutricionista por chat. Assim, quando chega à consulta, o paciente pode mostrar o que comeu em cada refeição, agilizando o atendimento.

Ajuda em situações emergenciais

Muitos pacientes têm dúvidas sobre como atuar em situações emergenciais, que podem acontecer a qualquer momento de suas rotinas. Por isso, também seria interessante que o médico indicasse alguns apps para ajudá-los nessas situações. Com dicas simples, o app Dr. Dráuzio Primeiros Socorros explica o passo a passo de como agir em situações de emergência. Os conteúdos disponíveis no app foram elaborados com a coordenação do próprio Dr. Dráuzio Varella.

Compartilhe
x

Revista DOC nova edição

100% gratuita

Faça seu download