9 maneiras para cortar os custos no consultório

Marcello Manes 4 minutos

Folder

Você já colocou na ponta do lápis os custos diários do seu consultório? Com certeza, ao fazer isso, é fácil perceber como é possível fazer pequenas economias em sua prática. Embora os materiais de escritório sejam apenas uma parte modesta das despesas de um consultório médico, eles ainda representam uma boa oportunidade para cortar gastos. Pensando nisso, preparamos nove dicas para te ajudar a realizar essa economia. Você perceberá que hábitos simples no dia a dia podem fazer toda a diferença para o seu bolso!

1. Assuma a liderança

As finanças não podem ser administradas sozinhas. Portanto, você deve assumir a liderança e supervisionar toda a compra de material, seja de escritório ou de suprimentos médicos. Deixe isso claro aos seus colaboradores para que eles informem com antecedência os materiais que precisam ser adquiridos.

2. Estabeleça um controle de estoque

É importante controlar o estoque dos materiais, estabelecendo níveis ideais para cada item. Atribua a um funcionário a responsabilidade de fazer a monitoração, as compras e o contato com os fornecedores. Peça um relatório periódico para que você faça o acompanhamento.

3. Evite corridas de emergência

Um sistema de controle de estoque eficiente evita que seu funcionário saia às pressas para uma compra inesperada. As emergências, além de serem uma surpresa desagradável, podem obrigá-lo a gastar mais, pois você não terá tempo suficiente para pesquisas preços ou entrar em contato com fornecedores.

4. Se possível, faça compras em atacado

Por meio da compra em atacado é possível fazer grandes economias, dependendo do item e da quantidade em que é comprado. Você reduz mais os custos se comprar uma caixa de luvas descartáveis do que um único par. Você pode ser capaz de capitalizar ainda mais sobre essa economia. Negocie e consiga ainda um bom desconto.

5. Navegue para poupar

Se você não procura muito por produtos on-line, chegou a hora de começar. Apesar das vantagens desse tipo de compras, algumas clínicas e médicos continuam a pagar preços altos em fornecedores locais por força do hábito. Você se assustará com a variedade de preços encontrados em um mesmo item no universo digital. Mas lembre-se: procure referências antes de efetuar qualquer compra on-line e dê preferência para sites confiáveis.

6. Procure pelos itens perdidos

Muitas clínicas gastam dinheiro de forma desnecessária para substituir itens de uso diário que simplesmente foram extraviados, como grampeadores e marca-textos, normalmente enterrados no fundo das gavetas. Quando os funcionários não encontram os itens, eles tendem a pedir a compra de novos em vez de continuarem procurando. O valor da compra pode ser pequeno, mas quando somado ao longo de um ano inteiro fará um montante substancial. Incentive os membros da equipe a serem mais responsáveis com os seus itens.

7. Considere tudo

Tudo deve ser levado em conta quando o assunto é economia. Seja criativo ao explorar formas de reduzir seus custos. Talvez itens não desenvolvidos especificamente para uso médico possam caber na conta. Dependendo do material e da sua finalidade, você também pode pechinchar equipamentos usados ou remodelados. Expanda os horizontes.

8. Veja além do preço na etiqueta

Olhar os preços com atenção é apenas uma parte da estratégia de gestão de custos. Médicos, administradores de clínicas e diretores financeiros devem analisar as contas mais de perto do que nunca. Se você não prestar atenção, você pode ignorar um aumento de preço significativo sobre os seus pedidos regulares. Preços mais baixos podem estar apenas a alguns passos ou cliques de distância.

9. Examine o quadro geral

Apesar de todas as pressões financeiras sobre o seu consultório, em algumas ocasiões talvez a melhor opção seja abrir um pouco a carteira. Se você está em uma área pequena ou rural, talvez seja preferível gastar um pouco mais por uma empresa que entregue seus materiais mais rapidamente. Qualidade também é importante. Entretanto, em muitas ocasiões uma loja ou uma marca genérica pode ser tão boa quanto uma de referência. Vale a pena pesquisar e pegar indicações.

Compartilhe
x

Revista DOC nova edição

100% gratuita

Faça seu download