Qual a importância de ter uma marca forte em saúde?

Raquel Prazeres 4 minutos

Folder

Na área da Saúde, é comum pensar que basta abrir um consultório e colher os frutos da Medicina, uma das profissões com maior garantia de retorno aos profissionais. No entanto, para que isso aconteça, é crucial criar e manter uma marca forte para o médico e sua clínica ou consultório. Por isso, investir em estratégias que demonstrem todos os benefícios que os seus serviços podem trazer ao paciente é o pontapé inicial para o sucesso.

O primeiro passo é desmitificar a aplicação do marketing para profissionais da Saúde. Segundo a especialista na área Alice Selles, os médicos ainda têm preconceito, pois a associam à propaganda e consideram que suas atividades não podem ou não devem ser divulgadas para atrair clientes. “Quando pensamos em marketing na área de saúde, estamos falando em gerenciar toda a jornada do paciente, do potencial paciente, de familiares e mesmo de influenciadores, desde o contato inicial até o pós-atendimento”, explica.

De qualquer maneira, não há fórmula mágica quando se trata de fazer marketing médico. Assim como na Medicina, em que cada paciente precisa ser analisado exclusivamente para que haja diagnóstico e tratamento específicos, no marketing, a avaliação da situação é o que determina a conduta que será adotada.

O que é uma marca forte?

Uma marca é sempre uma promessa. Quando o paciente busca um especialista para fazer um tratamento, ou mesmo para obter uma segunda opinião, ele se baseará em referências para chegar a um nome. Essas referências podem vir da indicação de outro médico, de outro paciente ou do que ele encontrar em pesquisas na internet.

Em todos esses casos, as impressões sobre o serviço prestado precisam ser coerentes com a promessa que é feita. Se um paciente pesquisa no Google (e ele provavelmente fará isso, mesmo que tenha recebido a indicação de outro médico ou familiar), o que ele encontrar ajudará a formar sua expectativa sobre o atendimento.

Então, para Alice, uma marca forte é aquela que consegue constantemente entregar o valor que promete. Para isso, a especialista afirma que é fundamental estabelecer uma comunicação coerente com o tipo de atendimento que será oferecido e cuidar para que o padrão de qualidade estabelecido seja mantido, sem oscilações.

Na prática

Para construir uma marca forte na cabeça e no coração das pessoas, Alice é enfática: “Acontece por meio de uma análise do mercado em que se atua e da clientela que se deseja atender para construir um diferencial competitivo forte, que será divulgado por meio de uma comunicação coerente e entregue a partir de processos de atendimento que valorizem e sustentem o que foi prometido”.

Além disso, a especialista acredita que uma marca forte é aquela que faz alguém ponderar que vale a pena o custo. Esse custo, por exemplo, pode estar relacionado ao preço da consulta, à espera por uma vaga na agenda ou, ainda, ao deslocamento necessário para ser atendido por aquele profissional. Se um médico não pensa na construção de sua marca, ele fica à mercê de fatores que pouco valorizam sua atuação, como a localização de seu consultório ou os planos de saúde junto aos quais é credenciado.

Ser um médico reconhecido na área e que promove uma boa comunicação com seu público o tornará referência em saúde. Por isso, Alice ressalta a importância de não desistir dos processos que podem fortalecer sua marca: “Uma marca forte não é um processo com início, meio e fim: é um esforço contínuo”, conclui.

x

Revista DOC nova edição

100% gratuita

Faça seu download