Saúde digital e telemedicina: o que os médicos pensam sobre a regulamentação?

Bárbara Mello 2 minutos

Folder

A Associação Paulista de Medicina (APM) realizou uma pesquisa em 2020 com o intuito de avaliar a “saúde digital”, ou seja, de que forma médicos brasileiros utilizam ferramentas tecnológicas em seu dia a dia. A pesquisa contou com a participação de 2.258 profissionais, das 55 especialidades reconhecidas no país, e, uma das suas abordagens foi sobre “saúde digital e telemedicina”, ou seja, para entender o que os médicos pensam sobre a regulamentação desse serviço no país.

Entre as cinco principais especialidades com participação no estudo (Clínica Médica; Cardiologia; Ginecologia e Obstetrícia; Ortopedia; e Neurologia), 60,54% dos participantes eram homens e 39,46% mulheres. A base de dados contemplou médicos associados da APM e, ainda, de outras associações médicas parceiras.

Os entrevistados deram diferentes respostas sobre seu posicionamento pessoal sobre diferentes questões relacionadas à Telemedicina. Veja alguns pontos a seguir:

Impactos no atendimento

Quando questionados se acreditam que, com tecnologias da Telemedicina que permitam a segurança dos dados e a privacidade entre médico e paciente, seria possível ampliar o atendimento médico além do consultório, a maioria dos profissionais entrevistados informou que sim.

Regulamentação

Os entrevistados também tiveram que responder à seguinte questão: “a partir de uma Telemedicina oficialmente regulamentada pelo CFM, com os recursos tecnológicos necessários para a segurança e ética da Medicina, você utilizaria esse recurso como ferramenta complementar ao atendimento da clínica/hospital?”. Mais de 1.400 responderam que sim, porém uma quantidade significativa (568) também disse que não, e outros 266 ficaram na dúvida.

Ameaça ou oportunidade?

Entendendo que a tecnologia faz parte de várias áreas da vida cotidiana e que a tendência é estarmos cada vez mais conectados, os entrevistados foram questionados se enxergam que a Telemedicina é uma oportunidade ou uma ameaça às próprias carreiras. As respostas também variaram nesse caso, sendo que boa parte dos indivíduos considera que se trata de uma oportunidade. Por outro lado, 8,28% enxergam como ameaça.

saúde digital e telemedicina

Aproveite também para ver o primeiro conteúdo da Série Saúde Digital, que mostra como os médicos utilizam ferramentas tecnológicas no dia a dia. 

 

 

Compartilhe
x

Revista DOC nova edição

100% gratuita

Faça seu download