Coaching, mentoring e advice na Saúde: caminhos para atingir a excelência

Folder

Nem só de procedimentos cirúrgicos e conhecimentos científicos vivem os profissionais da Saúde. Pelo contrário: ao longo dos anos, percebe-se que o investimento na gestão de carreira dentro desse segmento é crucial. É por meio dessa administração que se torna possível identificar possíveis erros, corrigi-los e, posteriormente, ter bons resultados. Pensando nisso, de que maneira o coaching, o mentoring e o advice podem auxiliar nessa transformação, para que se possa atingir a excelência? Para responder essa e outras perguntas, o Universo DOC conversou com Valdir Borba, professor de Administração Hospitalar e que está lançando o livro “Coaching, mentoring e advice para médicos e profissionais de Saúde”.

Confira a entrevista completa abaixo!

Universo DOC: Qual é a importância de se administrar a carreira e as instituições?

Valdir Borba: Na atualidade, o grande diferencial na gestão de qualquer carreira, em especial na Saúde, é uma construção sólida e estruturada do futuro. Desde o jovem que pretende ingressar no mercado até aqueles profissionais com mais experiência, faz-se necessário ter como objetivo central um desenvolvimento maduro, tanto do lado pessoal quanto do profissional. Por isso, apesar de começar pequeno, é preciso pensar grande, ser rápido e perseverante.

 

Universo DOC: O que você quis passar aos profissionais da Saúde em seu livro “Coaching, mentoring e advice para médicos e profissionais de saúde”?

Valdir Borba: Trabalho com organizações de saúde há mais de cinco décadas, tanto como gestor, quanto ensinando sobre gestão. Meu trabalho é focado, desde sempre, na construção de profissionais e, acima de tudo, na construção deles enquanto pessoas.

Durante todos esses anos, percebi a necessidade de construir os jovens, principalmente aqueles com vocação para Medicina. Então procurei trazer os conhecimentos de mentoring e de coaching para eles, juntamente com outras metodologias e conteúdos técnicos.

Resumidamente, procuro passar para esses grupos que tudo é um processo, na maioria das vezes lento, e que necessita ser dividido em várias etapas, mas que funciona muito bem.

A minha própria filha, por exemplo, adotando essa metodologia de coaching e mentoring, conseguiu uma vaga para fazer mestrado em Relações Internacionais em Bruxelas (Bélgica) e conquistou seu espaço no mercado europeu aos 28 anos. Outro case de sucesso que gosto de citar é o de uma jovem médica que conheci em Cuiabá. Ela estava terminando a residência em Neonatologia e se dispôs a ser mentorada por mim. Resultado: aos 30 anos, assumiu a direção técnica de um grande hospital, tornou-se coordenadora da UTI neonatal e passou em primeiro lugar no concurso do hospital federal.

 

Universo DOC: Pensando no título, como diferenciar os três métodos: coaching, mentoring e advice?

Valdir Borba: Coaching é aquela orientação direta, que se aplica na construção da carreira, estabelecendo um processo: partindo de onde está e determinando aonde quer chegar. São orientações de como se construir enquanto gestor, coordenador ou diretor, qual o caminho crítico de sucesso, somadas a técnicas que ajudam a alcançar o objetivo estratégico e profissional já desejado. Geralmente, o processo de coaching é de curta duração e muito direto, conforme poderão conferir em alguns exemplos que cito no livro.

O mentoring, por outro lado, é feito em longo prazo e necessita que o mentor seja altamente especializado na área em que fará o acompanhamento. Portanto, uma mentoria específica para médicos deve ser feita por um médico que tenha grande experiência na área a ser mentorada. Nas organizações, quando se torna necessário promover profissionais, por exemplo, de coordenador para gestor ou para diretor, é comum que estes sejam acompanhados e orientados por alguém mais experiente. Isso também ocorre quando há sucessão familiar, que pode e deve ser totalmente acompanhada por processos de mentoria, de governança clínica e de governança corporativa.

Advice, por sua vez, trata-se de um processo mais elevado e geralmente feito por um advisor ou conselheiro, com elevado grau de conhecimento, que fará aconselhamentos para outro profissional com grande expertise. Tem a função de traduzir a missão da organização, os fundamentos do fundador para os seus sucessores. As orientações na metodologia do advice são quanto: ao mercado; à sustentabilidade econômica, social e ambiental; à ética; ao compliance; e à formação de códigos de ética e de conduta de uma organização. São aconselhamentos quanto ao posicionamento da organização e do grupo; aos compromissos dentro de uma agenda de integridade e integralidade da atuação. É a metodologia para que se possa deixar legados, com valores pétreos. Não se trata de consultoria, mas de aconselhamento!

 

Universo DOC: Além deles, quais metodologias você destacou no livro?

Valdir Borba: Destaquei a questão da internacionalização de carreiras, como se preparar para ser um profissional ou líder padrão mundial; quais os passos necessários para isso; além de um instrumento chamado PEPP – Planejamento Estratégico Pessoal e Profissional. Inseri conceitos e formas de se aplicar missão, visão, objetivos e estratégias para esse desenvolvimento, e como se deve monitorar e acompanhar esse desenvolvimento por toda a vida profissional. Adoto uma simbologia sobre o desenvolvimento a partir da mente (pensar, planejar), passando pelo coração (emoções) e alcançando as mãos (fazer acontecer).

Trabalho também a questão dos tipos de inteligência, desde a racional, emocional e relacional social até a inteligência espiritual, e como aplicá-las efetivamente.

 

Universo DOC: Quais são as principais diferenças entre essa administração aqui no Brasil e em outros países?

Valdir Borba: A administração brasileira, ao menos em termos de gestão de atividades médicas e hospitalares, está muito próxima dos modelos europeus e americanos. Hoje já atuamos com tecnologia de ponta, com robótica, com salas cirúrgicas inteligentes, com drones… A nossa Medicina tem evoluído muito.

Mas, na questão de gestão de Sistemas de Saúde, ainda estamos atrás dos modelos da Inglaterra, Bélgica e Alemanha. Certamente precisamos ainda apreender e aplicar o Triple Aim, com agregação de valores para o paciente e para a sociedade com baixo custo. Para isso, entretanto, precisaremos mudar o modelo de remuneração, saindo do fee-for-service para o pagamento por performance, que já é aplicado na Europa.

 

Universo DOC: Com base na sua experiência no mercado, você acha que a formação dos médicos deveria explorar mais a gestão de carreira?

Valdir Borba: Acho que deveríamos levar disciplinas que pudessem despertá-los para isso, como: Gestão, Governança Clínica, Gestão Financeira, Economia em Saúde, Relacionamento, Marketing Digital e outros temas importantíssimos. Os processos de humanização e de acreditação também deveriam fazer parte dessa agenda. Qualidade no trabalho com qualidade de vida.

 

Universo DOC: O que você diria aos médicos que estão iniciando suas carreiras?

Valdir Borba: Eu digo para que tenham perseverança. A profissão é árdua, extenuante, mas muito significante e nobre. Lembrem-se sempre que a humanização e a integralidade do ser humano devem ser o objeto primordial da profissão. Preparem-se, desenvolvam-se, construam-se com qualidade e excelência técnica, profissional e, especialmente, humana. Não se esqueçam que muitas vezes o médico é a última esperança. Recorram a métodos de aprendizado e de construção de carreiras dentro de princípios pétreos.

Sejam eficazes, competentes, proativos, pois o seu campo de trabalho não é o seu consultório, hospital ou clínica, mas o próprio paciente e a própria sociedade. Sejam felizes e tornem a assistência médica cada vez mais segura. Somos dependentes do conhecimento que vocês tiveram o privilégio de adquirir.

Compartilhe